Sete sinais da queda iminente


por Pr. Naor Pedroza

Porque se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados

Haverá um dia em que todos comparecerão diante do Senhor.

I Co 11:31 e 32 diz: “Mas, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados; quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo”.

O Espírito e a Palavra são quem nos julga e nos julgará naquele dia, porém hoje já o temos entre nós. E se os deixamos nos julgar hoje, não seremos julgados naquele dia.

Hoje queremos deixar que o Espírito e a palavra nos julgue em relação há um possível caminho de queda em nossas vidas. Sejamos julgados hoje pelo Senhor para que possamos estar de pé naquele dia e sermos achados vencedores.

No capítulo 22 de Lucas lemos a respeito dos últimos acontecimentos antes da crucificação de Jesus. Trata-se de um tempo decisivo no qual vemos em destaque o processo de queda na vida de Pedro.

Creio que a seqüência e a progressão dos fatos na vida de Pedro são uma advertência para nós. Creio sinceramente que os próximos meses serão um tempo de “balançar a figueira”. Deus mesmo se encarregará de evidenciar algumas coisas que estão ocultas e pode ser que alguns irmãos não continuem em nosso meio. Pois só ficarão conosco os que tem aliança com esta visão
de conquista da cidade.

O exemplo de Pedro nos ensina como não cair e permanecer firmes no Senhor. Veja – passo a passo – o que aconteceu com ele.

1º Ele ficou na autoconfiança (Lc 22:31-34)

O primeiro degrau da queda é a confiança em si mesmo. Paulo disse: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está” Rm. 7:18
A vida Cristã é uma vida substitutiva. Cristo não apenas morreu em meu lugar, mas ele deseja viver em meu lugar no dia a dia.

2º Ele deixou de orar (Lc 22:39-46)

Uma vez que a pessoa começa a confiar em si mesma o degrau seguinte é deixar de orar. Somente ora quem necessita. Se não dependemos de Deus também não oramos.
A oração é o sinal ou a evidência de que dependemos de Deus.
Se o inimigo tem conseguido calar sua boca, impedir seu louvor, tem minado seu tempo a sós com Deus, então a sua força começa a diminuir e ele poderá tomar lugar. (Mc 14:38).
O fato de Pedro dormir enquanto Jesus orava nos fala de apatia espiritual. Será o seu caso?

3º Ele agiu por conta própria (Lc. 22:47-53)

Pedro sacou da espada e corou a orelha do soldado. (Jo 18:10).

Uma vez que confiamos em nós mesmos e deixamos de orar o resultado é que inevitavelmente começaremos a agir segundo nosso entendimento próprio. Pedro agiu por conta própria sem a direção de Jesus atacando o servo do sumo-sacerdote. O resultado foi lastimável.

4º Seguiu de longe (Lc 22:54)

O próximo degrau é que Pedro começou a seguir a Jesus de longe. Seguir de longe é apenas um símbolo daquilo que acontece com muitos filhos de Deus hoje.

Não estão envolvidos em um discipulado, não envolvem-se na célula e não aceitam ser cobrados por isso. Ficam de longe observando a obra como espectadores.

Outros sequer congregam. Hb (10:25).

Deixar de congregar, de vir aos cultos, de ir à célula é uma atitude clara de afastamento. Podem ainda estar com o Senhor, mas querem ir de longe.

5º Ele assentou-se com Ímpios (Lc 2254-55)

Quando não nos envolvemos na vida da igreja seguindo a Jesus de perto, facilmente nos assentamos na roda de escarnecedores. (Sl 1:1-2).

Nos assentamos em mesa de escarnecedores quando:

*Gostamos de piadas imorais e conversas de baixo nível.
*Compactuamos com corruptos.
*Convivemos com ilegalidades.
*Arranjamos desculpas para adultérios e impurezas.

Um sinal perigoso de que alguém está caindo é quando ele perde o interesse por andar com pessoas espirituais. Normalmente rejeita os conselhos de líderes e para justificar sua atitude ele começa a depreciar os líderes da igreja se sentindo autorizado a agir com rebeldia uma vez que nenhum deles é perfeito.

6º Negou envolvimento com o Senhor (Lc 22:58)

“Ora, Pedro estava sentado fora, no pátio; e aproximou-se dele uma criada, que disse: Tu também estavas com Jesus, o galileu. Mas ele negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes”. Mt. 26:69-70
Aqui começa a queda. Há muitas maneiras de negarmos o Senhor:
Negamos o Senhor quando negamos nosso envolvimento com a igreja.

•    Eu vou à igreja apenas por costume.
•    Eu sou crente, mas nada me impede de dar um jeitinho nos negócios.
•    Eu gosto dos cultos, mas não sou batizado.

7º Negou conhecer a Deus e Sua identidade.

Uma vez que negamos o envolvimento passamos a negar o conhecimento.

“E saindo ele para o vestíbulo, outra criada o viu, e disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o nazareno. E ele negou outra vez, e com juramento: Não conheço tal homem.” Mt 26:71-72

O último estágio é quando negamos a identidade. É quando dizemos: “Minha família é crente, mas eu apenas vou ao culto…”
“E daí a pouco, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Certamente tu também és um deles pois a tua fala te denuncia. Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou.” Mt 26: 73-74

O arrependimento (Lc 22:61-62)

Se você tem passado por este processo de queda você precisa se arrepender como Pedro fez: Veja o olhar amoroso e perdoador de Jesus para seu discípulo. Lembre-se das palavras do Senhor e saia do lugar de negação destas palavras. Por fim arrependa-se de todo o coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: