Palavra célula 22/01/09 – O novo céu e a nova terra

 

mundo_fogoO fato de se fazer novos céus e nova terra indica que as dispensações de Deus estão completas. Desde a eternidade Deus tencionou ter a Sua noiva (Ef 1.9-11; 3.9-11). Para isso a humanidade foi criada.

Para alcançar esse propósito Deus tratou com o homem de diversas formas, as chamadas dispensações. Podemos dizer que ao final de tudo terá havido sete dispensações.

Inocência — da criação até a queda
Consciência — da queda até o dilúvio
Governo humano — do dilúvio até Abraão
Patriarcas — de Abraão até Moisés (Rm 5.14)
A lei — de Moisés até Cristo (Jo 1.17)
A graça — da vinda de Cristo até a Sua volta (At 3.20,21)
O reino — Por mil anos depois da vinda de Cristo (Ap 11.15; 20.4-6)

través da última dispensação Deus completará a Sua obra e então virão novos céus e nova terra. Na última dispensação o Senhor vai aperfeiçoar a Israel e os restantes da Igreja que não foram aperfeiçoados.

1. Os primeiro céu e a primeira terra (Ap 21.1)

A Palavra de Deus nos diz que o velho céu e a velha terra serão queimados e os elementos abrasados se desfarão. Por fim não somente nós, o povo de Deus, seremos a nova criação, mas todo o universo será renovado e se tornará a nova criação.
Um ponto difícil de explicar aqui é: onde estarão as nações quando os elementos se desfizerem? Sabemos que na nova terra as nações ainda continuarão existindo (Ap 21.24).

No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da terra, e os céus são obra das tuas mãos; eles perecerão; tu, porém, permaneces; sim, todos eles envelhecerão qual veste; também, qual manto, os enrolarás, e, como vestes, serão igualmente mudados; tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fim. (Hb 1.10-12)
Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. (2Pe 3.10-13)

2. O mar não existirá (Ap 21.1)

Na Bíblia as águas podem simbolizar tanto vida quanto morte. É morte quando é água do mar, é vida quando é um rio que flui.
Nós sabemos que quando Jesus expulsou os demônios do Gadareno, eles entraram nos porcos e depois se lançaram no mar. No princípio, quando satanás foi lançado na terra, esta se tornou em trevas, sem forma, vazia e cheia de água, retratando assim a morte e o caos.
O fato de o mar deixar de existir mostra que satanás e todos os seus seguidores malignos foram tratados e não serão encontrados no novo céu e na nova terra.

3. Não haverá lembrança das coisas passadas

Deus tem uma grande habilidade para esquecer. Primeiro ele esquece o nosso pecado e por fim se esquecerá das coisas passadas.
Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas. (Is 65.17)

4. Um lugar de justiça

No novo céu e na nova terra tudo será correto, justo e apropriado.
Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. (2Pe 3.13)

5. A Nova Jerusalém (Ap 21.2)

Depois de serem arrebatados aos céus todos os santos redimidos estarão na Nova Jerusalém. Esta, por sua vez, descerá do céu quando houver uma nova terra. Isto indica que a nossa habitação eterna não será o céu, mas a Nova Jerusalém que vai descer do céu.
O fato de ser a Noiva parece indicar que é um símbolo. A cidade aqui representa a Igreja glorificada. Todavia, não podemos afirmar que tal cidade não exista fisicamente. Esta cidade será a noiva de Cristo e também o Tabernáculo de Deus para a Sua habitação com o homem (v. 3).Para Cristo será a Noiva para deleite e satisfação, para Deus será a Sua habitação e expressão de Si mesmo
Tanto no Velho como no Novo Testamento, Deus compara o Seu povo com uma esposa (Is 54.6; Jr 3.1; Ez 16.8; Os 2.19; 2Co 11.2; Ef 5.31,32).
Além disso, o Seu povo também é chamado de Sua habitação eterna (Êx 29.45,46; Nm 5.3; Sl 68.18; Ez 43.7;9; 1Co 3.16,17; 8.19; 2Co 6.16; 1Tm 3.15).

6. Sem morte, sem dor ou pranto (v. 4)

E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. (1Co 15.54)
Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. (Ap 20.14)

7. O vencedor (vv. 7,8)

Aqui difere do sentido dos capítulos 2 e 3 porque aqui representa todos os filhos que foram restaurados durante o milênio.
A nova Jerusalém (vv. 9-27)
Trata-se da composição de todos os remidos. É algo vivo, um edifício vivo. Na Bíblia temos duas obras de Deus:
A criação — na criação temos os materiais
A edificação — na edificação temos o modelamento desses materiais
Se compararmos os materiais de Gênesis 2 com Apocalipse 21 e 22 veremos que eles se repetem.Temos um rio, pedras preciosas, a Árvore da vida e o paraíso.
As pedras devem simbolizar os santos. Podemos ver algumas ocasiões que ilustram esse princípio:
No sonho de Jacó, temos a casa de Deus, Betel e a pedra com o óleo, indicando a forma como a Igreja é edificada (Gn 28.17). Em Mateus 16, Simão é transformado em Pedro, em 1Pedro 2.4,5 o próprio Pedro diz que todos nós somos pedras espirituais. E em 1Coríntios temos os materiais da edificação do edifício.
A Nova Jerusalém é chamada de Noiva e esposa. A Noiva se cumpriu no milênio, mas será esposa por toda a eternidade.

1. A grande e alta montanha (v. 10)

Essa montanha está em contraste com o deserto de onde João viu a grande Babilônia. Se desejamos ver a revelação de Deus, precisamos de uma posição elevada, ou seja, precisamos ser elevados em espírito.

2. Tendo a glória de Deus (v. 11)

A glória de Deus é a expressão de Deus. Vemos aqui o cumprimento final do propósito eterno de Deus de ter o homem com a Sua imagem para expressá-lO e representá-lo.
Fomos designados para essa glória — (1Co 2.7; 1Ts 2.12, 1Pe 5.10);
Estamos sendo transformados nessa glória — (2Co 3.18);
Seremos introduzidos nela — (Hb 2.10);
Por fim seremos glorificados e seremos tal como Cristo é — (Rm 8.17;30; 1Jo 3.2).
Sabemos que a aparência de Deus é descrita como semelhante à pedra de Jaspe (Ap 4.3). Assim também é a aparência da Nova Jerusalém. Isto porque a Nova Jerusalém é o cumprimento do propósito eterno de Deus de ter o homem à Sua imagem e semelhança, com a Sua glória para representá-lO.

1. A cidade

Tem o nome das doze tribos nas portas indicando que os judeus foram a porta de entrada no reino.Sobre as muralhas estão o nome dos doze apóstolos indicando que a obra da igreja é o alicerce, a proteção e a separação da cidade.

2. Os elementos que compõem a cidade

A cidade é edificada basicamente com três elementos:
O Ouro — aponta para a natureza de Deus. A cidade toda é de ouro
Pérolas — são as portas. Apontam para a morte de Jesus que dá vida e nos transforma
Pedras preciosas — a muralha e o alicerce são de pedras preciosas que apontam para a obra do Espírito Santo que nos transforma.

3. A aparência da cidade

A aparência da cidade é de jaspe. Se compararmos Apocalipse 4.3 com 21.18, veremos que a aparência da cidade é a mesma de Deus. Isto significa que a cidade é para a expressão de Deus.

Pr. Aluízio A. Silva
http://www.igrejavideira.com 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: