Palavra da Célula 16.set.09 – Uma vida cheia do Espírito ( Jo 3.8)

 

Palavra da Célula

Palavra da Célula

A vontade de Deus é que seus servos dêem muitos frutos. Não tenha dúvida disso, porém, isso só é possível através de uma vida cheia do Espírito (Lc 24.49). Esse é um dos primeiros requisitos para que o avivamento aconteça no nosso meio.

Uma vida cheia do Espírito será traduzida em pelo menos dois elementos. São eles:

1. Poder do alto

 

A razão porque não somos mais prósperos é que não contamos com o Espírito Santo entre nós, em poder e energia, como nos tempos primitivos. Uma hora de trabalho, no poder do Espírito, pode realizar mais do que um ano de trabalho na energia da carne. E o fruto permanecerá para sempre (Jo 3.6; 1Co 2.4).

2. Convicção do pecado

É necessário que o pecado seja profundamente sentido, antes de poder ser lamentado. Os pecadores devem sentir tristeza, antes de receber consolo. É necessário um profundo arrependimento e convicção de pecado antes que venha a glória de Deus.

A falta do poder e da glória de Deus devia ser considerada como prova de inaptidão para o pastor, o diácono, presbítero, discipulador, líder de célula ou até mesmo para um professor de escola cristã (Jo 15.5). Os seminários não devem recomendar ninguém às igrejas, se ele não tiver obtido o grau mais elevado: o revestimento do poder do alto. 

Buscamos o avivamento, contudo, para que ele seja gerado, devemos cumprir com algumas rotinas espirituais:

1. Oração (Is 66.8)

As almas não são salvas pelo homem, e sim por Deus. Ele opera em resposta à oração, não temos outra alternativa. A oração movimenta o braço divino, que põe o avivamento em ação. A conversão é uma operação efetuada pelo Espírito Santo, e a oração é o poder que a assegura.

2. Comunhão com o espírito santo

Os nossos dias, mais do que nunca, precisam de homens que vivam em plena comunhão com o Espírito, que sejam íntimos do Espírito Santo. Na Bíblia, comunhão significa : 

a. Presença 
b. Confraternização 
c. Compartilhamento
d. Participação
e. Intimidade
f. Amizade 
g. Camaradagem

O Espírito Santo é uma pessoa, mas Ele também pode ser reconhecido através de alguns símbolos, entre eles o vento.

O vento

Normalmente, temos padrões de pensamentos estabelecidos a respeito de quase tudo na vida, inclusive a respeito de como o Espírito se move. A vida cristã é Cristo se movendo e existindo em nós. Se estivermos fora de tal mover, estamos fora do avivamento e somos os mais miseráveis. Quais são as características desse mover:

1. O Espírito é livre para agir

Não há nada que você possa fazer a respeito do vento, para Ele não há proibições. Não há governos, nem decretos, não há papa nem apóstolo que lhe dê ordens, ninguém pode impedi-lo de soprar e nem obrigá-lo a tal. 

2. O Espírito obedece às Suas próprias leis

Deus pode ungir quem nós menos esperamos, e não ungir quem esperamos. Nenhum dos profetas que escreveram a Bíblia vieram das escolas dos profetas. Eliseu estava no campo; Amós estava na fazenda; Oséias estava na padaria; Jeremias e Ezequiel estavam no meio do povo.

3. Ouve-se a Sua voz


Avivamento é fruto de ouvir a voz do vento. Felipe ouviu a voz do Espírito em Samaria e foi para o deserto, quando estava no meio de um forte mover. Se você se apegar ao seu passado e exigir que Deus faça o que você considera importante e desejável, você jamais obterá o fluir do Espírito. 

A pessoa 

Dissemos que o Espírito Santo é uma pessoa. Aqui, precisamos explicar algo: não podemos resistir ao vento, mas podemos resistir à pessoa do Espírito e impedi-lO de operar. Resistimos ao Espírito Santo todas as vezes que nos opomos à Sua Palavra e à Sua vontade para nossa vida; todas as vezes que fazemos prevalecer nosso querer em detrimento do dEle, ou pior, quando ignoramos o Seu querer. 

Você, alguma vez, já entristeceu alguém que você ama muito? Não há ninguém que o ame mais que o Espírito Santo e Ele pode ser entristecido por você. O que pode entristecer o Espírito? Amargura, cólera(raiva), ira(ódio), gritaria(confusão), blasfêmias(insulto, irreverência), malícia(maldade, astúcia, má fé) e furto (Ef 4.30,31).

Até aqui, entendemos que precisamos cumprir alguns requisitos para sermos cheios do Espírito; entendemos ainda que ele pode ser resistido. Falamos que precisamos ter comunhão com Ele, mas ainda não falamos como fazemos isso. Só existe um jeito, a entrega.

Entrega

É como no casamento, um ato altruísta de rendição amorosa. Se você quiser separar partes para serem só suas, seu relacionamento não poderá ser pleno. Só uma entrega total produz comunhão total.

Quando um cônjuge ignora o outro, dá-se início um caminho de animosidade e amargura que pode, muitas vezes, culminar até mesmo em divórcio. A mesma coisa acontece quando você negligencia o Senhor, você irá sentir amargura e raiva, como aconteceu com o povo de Israel no deserto (Nm 14.2,3;27). 

Eles deixaram de buscar ao Senhor e seus corações se endureceram. O resultado disso foi que eles morreram no deserto. O mesmo Espírito que mostrou-se essencial para a obra terrena de Cristo é necessário para você. Ele é indispensável. Ele quer fazer uma entrada triunfal em sua vida. E o convite de hoje é: entregue-se a Ele totalmente!

Naor Pedroza

fonte: http://www.IgrejaVideira.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: